Programa Olhar Cristão

Programa Olhar Cristão

O Programa Olhar Cristão está inserido em uma web rádio que toca músicas que não são evangélicas. Fui convidada para inserir um espaço para falar da Palavra de Deus, e logicamente que aceitei, pois a Palavra do Senhor tem que ser expandida por todas as nações. Temos dois horários disponíveis: nas segundas às 21 horas e às quintas no mesmo horário. Conto com a sua participação e divulgação. Deus os abençoe!

Oração para aceitar Jesus como Senhor e Salvador

“Senhor Deus, eu venho a Ti, como pecador que sou, em nome de Jesus pedir-te perdão pelos meus pecados. Perdoe Senhor, meus pecados. Apaga minhas transgressões e escreve meu nome no livro da vida que está no céu, para quando deste mundo eu partir tenha um lugar reservado em Tua glória. Senhor Deus, eu creio em meu coração para Tua justiça, mas faço confissão com minha boca para salvação da minha alma. Recebo Jesus em meu coração como meu único e suficiente Salvador. Rejeito também todos os deuses estranhos aos quais eu servi até esse momento e a todo mal que veio sobre minha vida. Declaro agora a cobertura do sangue precioso sobre mim. Entrego minha vida e meus caminhos para que o Senhor Jesus possa conduzir-me e creio que serei vitorioso(a) em nome de Jesus. Amém!”

domingo, 23 de dezembro de 2007

A VERDADEIRA LUZ


“Ele (João Batista) não era a luz, mas veio para que testificasse a respeito da luz, a saber: a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina a todo homem. Ele estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber: aos que crêem em seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. E o verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (João 1.8-14).

Para muitos, a festa do Natal já ficou para trás. Agora é a vez das profecias e das luzes – que é o que não falta a cada passagem de ano. Esta é a época das mais variadas previsões para o ano novo. Previsões que não são lembradas nem cobradas dos seus autores um ano depois. Esta também é a época das luzes. Na passagem de ano, milhões – para não dizer bilhões - de pessoas vão às ruas ou põem-se à frente dos televisores para apreciarem as luzes dos fogos de artifício. Luzes belas, impressionantes, mas luzes transitórias. Depois, tudo volta a ser trevas. Na segunda-feira, dia 3, tudo volta ao normal: trabalho, rotina diária, correrias.Se as luzes se apagaram e tudo volta à rotina, há UMA LUZ PARA O ANO DE 2008. Esta luz não é transitória. É permanente. Esta luz não pode ser confundida com a multidão de luzes da passagem de ano. Ela é única. É uma luz que não está sujeita às previsões fracassadas dos homens, mas que brilhará neste mundo até o momento de iluminar a todos os cristãos na chegada ao céu. É a luz que nos conduz com segurança durante o ano novo e sempre: JESUS.


  • Esta luz estava no mundo, vindo para o que era seu (v.10,11). A manjedoura de Belém foi a porta do mundo que se abriu para que a Luz se manifestasse aos homens. Era necessário Jesus estar no mundo. Era necessário Jesus nascer, morrer e ressuscitar. Jesus veio ao encontro de vidas vazias, cansadas, angustiadas, cheias de dúvida. Ele não veio para curar os sãos, mas os doentes. Ele veio ao encontro do seu povo eleito, escolhido dentre muitos. Um povo que clamava pelo Messias prometido. Jesus estava no mundo e hoje continua a estar através do Evangelho. Através da Escritura Sagrada, Jesus fala a você, cansado e sobrecarregado de fardos e pecados, anunciando que há alívio para suas cargas. Através do Batismo, ele perdoa pecados e transforma perdidos em herdeiros da vida eterna. Através da Santa Ceia, Jesus dá perdão dos pecados e fortalece a fé. Ainda hoje a voz de Jesus ecoa: Eu vim para “buscar e salvar o perdido” (Lucas 19.10).

  • Esta luz foi rejeitada por muitos (v.11). Infelizmente, as coisas não correram como Jesus desejava. Muitos não o receberam. Esta reação, na verdade, não era surpreendente. Desde épocas anteriores à encarnação do Filho de Deus, o Verbo já fora rejeitado por causa da natureza humana pecadora. Agora não o reconheceram como o enviado de Deus. Estavam cheios de si, perdidos nas trevas do orgulho. Não dependiam de ninguém, nem de Deus. Era assim que pensavam e agiam. E é assim que muitos também hoje pensam e agem. Hoje, tanto quanto no tempo de Jesus, muitos homens preferem viver na cegueira das trevas, desejando ser deuses de si próprios. Para estes, 2008 vai ser um ano difícil. Provavelmente, quando as coisas correrem mal, vão jogar a culpa naquele que rejeitam. Provavelmente, quando as coisas correrem bem, vão agarrar todos os louros para si próprios. Provavelmente, viverão mais uma ano passando por túneis escuros, sem luz ao fim, buscando a ajuda de deuses que não ouvem, não falam, nem podem oferecer qualquer ajuda. Enfim, certamente, estarão se distanciando cada vez mais da Luz, a caminho da própria destruição. Se permanecerem nas trevas, não será por falta de iluminação, mas porque deliberadamente preferem as trevas. A vinda de Jesus no Natal não foi para que isto acontecesse. O propósito de Deus ao enviar o seu Filho ao mundo continua sendo “não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (João 3.17). Peço a Deus que ainda haja tempo para que estes encontrem a Luz no fim do túnel!

  • Esta luz torna filhos de Deus a quem a recebe (v.12). Apesar das coisas não correrem bem para Jesus, ele levou a sua missão até o fim. Ele queria trazer luz aos necessitados e abatidos. Ele queria iluminar aqueles que tinham certeza de que, se Deus não tivesse misericórdia e piedade, estariam perdidos. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber: aos que crêem em seu nome”. Tornar-se filho de Deus é um privilégio. Ninguém torna-se filho de Deus porque quer ou quando quer, ou pelo mérito das obras próprias. Nós nos tornamos filhos de Deus mediante a ação poderosa do Espírito Santo pelo Evangelho. É Jesus quem dissipa as trevas do pecado e da descrença. Quando a Luz das luzes ilumina o nosso coração, fazendo-o reconhecer em quão poderosas trevas se encontra, então o consolo do perdão e da nova vida nos fazem clamar bem alto: “Pai nosso que estás no céu!” Viver como filho de Deus é um privilégio. Somos guardados na fé não por vida piedosa, mas por causa do poder, da graça e do perdão que o Menino de Belém, a Luz, conquistou para nós na cruz.Para concluir, é preciso dizer que o ano de 2008 vai ser muito abençoado para quem andar sob a luz que é Jesus. As luzes da passagem de ano já se apagaram. Os profetas de cada ano continuarão com suas atrapalhadas previsões. Mas o certo mesmo é que temos uma luz permanente, ou melhor, uma festa de luz: “E vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai”. Nesta festa, nesta certeza, podemos viver confiantes e ter um feliz e abençoado 2008! Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!
Seu comentário é importante para o Blog.
Seja educado(a)ao comentar!